QUESTÃO 25 - Resposta

19/02/2017 11:08

QUESTÃO 25

UNICAMP – 2017 (ACESSO DIRETO)

Homem, 40ª, faz uso cronicamente de varfarina 10mg/dia, antecedente de trombose venosa profunda. Chega ao Pronto Socorro com sangramento gengival e urinário volumoso. Bom estado geral, FC: 80bpm, PA= 110x80mmHg. Hb=12,5g/dL, Ht= 38% RNI= 10. O tratamento é:

A)     Transfundir plasma fresco congelado.

B)      Administrar imunoglobulina intravenosa.

C)      Administrar Vitamina K.

D)     Suspender a varfarina e observar.

 

PET COMENTA:

                A varfarina é, certamente, um dos anti-coagulantes orais mais conhecidos e usados mundialmente, principalmente pelo seu longo tempo de uso e preço acessível, entretanto sua grande quantidade de interações medicamentosas, sua necessidade de controle do RNI (ou INR) e seus efeitos colaterais fazem com que o médico tenha que dominar o perfil farmacológico deste medicamento para seu uso devido.

                Nesse contexto, como anti-coagulante é usado na prevenção primária e secundária de doenças tromboembólicas venosas, em pacientes com próteses valvulares, fibrilação atrial e AVC. Entretanto devemos ter ressalva em seu uso quando em suspeita de doenças hematológicas que facilitem a hemorragia, como trombocitopenia, e aneurismas cerebrais, ulcerações do trato gastrointestinal e gestantes.

                O mecanismo de ação da Varfarina gira em torno se seu potencial ANTAGONISTA DE VIT. K, o que faz com que os produtos da síntese sem Vit. K (pela sua antagonização) tenham apenas 10-40% da atividade biológica normal. Desse modo, há possibilidade de diminuir os fatores II, VII, IX e X entre 30-50% e a volta a normalidade, caso seja encerrado o uso do fármaco, pode levar dias.

                Além disso, é importante citar que a varfarina se liga fortemente a albumina, o que já mostra seu potencial de interação medicamentosa com diversas outras classes de fármacos que são transportados por essa proteína plasmática, e tem meia-vida que varia entre 25 até 60 horas.

                Por fim, uma das complicações mais frequentes e importantes no paciente que usa a varfarina é a possibilidade de hemorragia, e isso se relaciona com INR fora da margem terapêutica (entre 2 e 3) para cima, como no caso do paciente da questão com INR de 10. Nesses casos a indicação seria de administrar a Vitamina K que em excesso irá se sobressair á varfarina e assim tornará a ajudar no processo de coagulação.

                Ademais, a modificação da dose da varfarina se torna importante, mas não com a expectativa de uma resolução rápida, já que seu tempo de meia vida é muito longo. Assim, é essencial que o médico saiba a maneira correta de modificar a dose da varfarina de acordo com o INR. Veja o tutorial AQUI!!!

 

               

Desse modo, o item correto é o item C)

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Teles, Juliana Souto, Ellen Yukie Fukuda, and David Feder. "Varfarina: perfil farmacológico e interações medicamentosas com antidepressivos." Einstein (16794508) 10.1 (2012).

https://www.pbh.gov.br/smsa/biblioteca/geas/protocoloanticoagulacao.pdf

https://aps.bvs.br/aps/como-realizar-calculo-da-dose-total-semanal-de-anticoagulacao-para-atingir-alvo-de-rni-entre-2-e-3-tanto-para-dose-inicial-quanto-para-os-ajustes-de-dose-conforme-os-valores-do-rni/

https://www.mdsaude.com/2009/01/interacoes-com-varfarina-marevan.html

 

Baixe aqui!

Clique na imagem abaixo e se delicie com nosso E-book em PDF para levar onde quiser.